Balão de Ar


Balão de Ar

É noite clara, o vento sopra,
De onde será que ela vem?
Ouço alguém bater na porta,
Abro e não vejo ninguém.
Conto as estrelas de madrugada,
Enquanto o sol não vem.
Parece longa a minha estrada,
Um metro parece cem.
Vou levando, vou deixando levar...
Vou buscando, vou tentando encontrar...
Faço planos, quero realizar...
Se me engano, eu não quero acordar.
Se acordo, não quero acreditar.
Vou gritando, pra você me escutar.
Vou soprando, esse balão de ar.
Vou deixando, o vento me levar.
Se me engano, eu não quero acordar.
Se acordo, não quero acreditar.

Jefferson / Nicolas

Palavras

Palavras

Alguem me dirigiu a palavra
lentamente ontem à noite,
ontem a noite eu não soube
bem o que dizer.
mencionaram caso de vida
ou morte, tudo isso por eu
amar você.
não ponho minha mão no fogo
mais por ninguém...
não ponho minha mão no gelo
mais por ninguém...
não ponho minha cabeça em jogo
em troca de alguém...
nao ponho mais...
ontem o sol estava rasoavel
aos meus olhos, estava frio
E seu labios não
vieram me visitar,
tudo uma questão de amor
de testar o ódio, quem é
que vai arriscar.
minhas palavras cantam,
minhas palavras falam
minhas palavras são escritas
minhas palavras choram,
minhas palavras abraça,
minhas palavras são magicas.
não vou guardar suas lagrimas como
recordações não vou guardar não...

Nicolas César

Entre você e Eu

Entre você e Eu

Colhe a chuva com a mão
Feito festins de carnaval,
Rabisca o vento com teu cheiro
Escuta assim ao meu sinal.
Não volta os ponteiros magicos
Do seu relogio digital,
Pois o tempo não vai voltar.
Deixa que eu te pego
Nos braços te levo pra cama,
Te mostro a diferença
Entre espaço e a lama
Entre desejos os medos,
A raiva nos nervos
Entre você e eu...
Colhe a chuva com as mãos
Feito festins de carnaval
Me mostra um simples começo
Que por fim te mostro um simples
Final.

Nicolas César