Contrários

Contrários

As circunstancias simplesmente vem e vão
E se não vem você inventa com as próprias mãos,
E se errar é bom assim pedir perdão
Se não pedir
Corte assim as próprias mãos.
Não quero mais viver assim
sem poder te escutar,
Sorriso caro marfim
Sem poder te abraçar.
Um segundo é eternidade pra quem sabe amar,
Eternidade vira dor
Pra quem sabe machucar,
E se cortar demora assim a cicatrizar
Eu vou morrer por fim até sangrar.
As circunstancias sempre tomam a contra mão,
E como um trem
Não faz curva uma só direção
E se atrasar
Melhor dormir na estação,
E se dormir perderá a atenção.

Nicolas César